Pular para o conteúdo principal

Top 10 - O que o Brasileiro tem lido

Como já disse em outro tópico, toda semana eu olho os top de livros indicados pela Veja e, confesso, estou decepcionada com o povo brasileiro. Quando vejo a qualidade literária do que tem feito sucesso no Brasil, percebo que as pessoas não ligam mais para a história em si, mas se agregam ao modismo e fazem livros infrutíferos, com uma história pacata e plagiada, com personagens fúteis e sem emoção se tornarem best-silleres.

A triologia 50 Tons, de E. L. James, é uma prova disso. Os livros ocupam as posições 1, 3 e 4 entre os 10 mais, imerecidamente. Mas não vou entrar em delongas, já que minha opinião já foi dada.

O Lado Bom da Vida, de Matthew Quick, está, há 13 semanas entre os 10 mais, na segunda posição. História que rendeu a indicação ao oscar de melhor filme, melhor atriz e melhor ator em 2012. A história é cativante, impactante, surreal, triste e engraçada. O autor conseguiu mesclar, com sucesso, drama e comédia nos proporcionando uma leitura gostosa e super leve, daquelas que a gente começa a ler e lê... lê... lê e não quer parar até que tenha-se concluído. Enfim, ao contrário de tantos outros por aí, o livro é muito bom e merece estar entre os dez mais.

Na quinta posição está A Culpa É das Estrelas, de John Green. Que livro lindo! "A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar." (Sipnose). Tirando que a história trás no enredo um romancezinho típico e batido, a história  em si é totalmente cativante e interessante. 

Em sexto lugar a coletânea "Toda Poesia", de Paulo Leminski, ganhou destaque por seu romantismo e mistura de estilos orientais e ocidentais. Particularmente, achei o livro fraco (nem o li todo). 

Em sétimo lugar, Colleen Houck aparece com o 4º livro da série "A saga do Tigre", O Destino do Tigre, mais bem sucedido que os três anteriores, narra a busca pelo último presente da deusa Durga. Escrever livros em série está tão "na moda" que chega a ser chato. Na verdade, o que vejo é que todo escritor que ser uma J. K. Rowling da vida e lançar uma série que estoure, tanto na literatura, quanto no cinema. Mas as coisas não são bem assim, né, e essa invasão de livros em série dá uma canseira danada. Até porque, alguns escritores (como George R. R. Martin) conseguem ditar uma série com conteúdo e não ficar circulando os mesmos assuntos por vários livros, tornando a saga interessante e com um ar de "quero mais", mas a maioria escreve um fiasco de história com enredo repetitivo, cansativo e sem nenhum conteúdo. Sabe o que é isso? a monetização de tudo, da literatura, da música, do cinema... então ficar "enxendo linguiça" pode levar ao modismo exarcebado de hoje e render lucros pela quantidade de cópias vendidas. Isso é péssimo para nossa cultura, a inclusão midianista de ideias nos manipula facilmente levando a extinção de conceitos realmente importantes. Resumindo, o livro é ruim, a série é um fiasco.

Em oitavo, nono e décimo lugares estão, respectivamente, Garota Exemplar, de Gillian Flynn, Irresistível, de Sylvia Day e Insurgente, de Verônica Roth. Todos tem em comum uma história de uma garota super star, apaixonada por um garanhão poderoso, muito sexo, muita liberdade (ou libertinagem) em uma trama em que tudo dá certo e uma história com personagens insólitos e protagonistas que expressam a realidade de todo mundo... é isso mesmo, todo mundo se vê, de alguma maneira, nos protagonistas. Isso te é familiar? Quem leu a triologia 50 tons, identifcou na hora! É uma cópia da história, que é uma cópia de Crepúsculo. Da mesma forma que um ou dois anos atrás todo mundo resolveu escrever sobre anjos (culpa do Dan Brown com sua história "Anjos e Demônios") agora a moda é escrever romances "crepúsculo". Claro que se tivessem vampiros ou outros seres misticos, caracterizaria em "roubo de propriedade intelectual" então, a invés disso, resolveram-se criar personagens sem personalidades, alguém que pode ser qualquer um. Resultado: uma literatura chata e o mercado abarrotado de livros "plagiados" e pessoas vazias...

Só me resta dizer: Que saudade de Harry Potter, Percy Jackson e os Olimpianos, A Menina que Roubava Livros, A Cidade do Sol ou O Caçador de Pipas... estou sentindo falta da época em que tinha vontade de levar toda a livraria pra casa, todos os lançamentos... 

Comentários

Postar um comentário

Todos os comentários são de responsabilidade individual e não representam a opinião da autora do blog.

Postagens mais visitadas deste blog

Cinema: Estreias Imperdíveis de 2014

Por: Carol Turck Não faz tanto tempo que o ano de 2014 começou e mesmo assim já temos uma lista enorme de excelentes filmes que já estrearam nos cinemas este ano, como O Lobo de Wall Street, A Menina que Roubava Livros, Trapaça e diversos outros. Mas como ainda temos vários meses pela frente, também ainda temos várias estreias imperdíveis para não nos fazer desgrudar da poltrona do cinema este ano. Confira abaixo alguns dos filmes mais aguardados e que você não pode perder: O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro (The Amazing Spider-Man 2) A sequência do herói Homem-Aranha irá rechear a tela de vilões: Jamie Foxx será o principal deles, no papel de Electro, mas também Paul Giamatti, Dane DeHaan e Chris Cooper darão vida a Rhino, Duende Verde e Norman Osborn, respectivamente. A estreia será em 2 de maio. Godzilla O famoso lagarto gigante japonês está de volta ao cinema neste remake norte-americano. O elenco trará o premiado ator Brya

Top 10 - Guitarristas e suas Guitarras

Nenhum outro instrumento musical tem o poder de enlouquecer a cabeça de jovens quanto a guitarra. Aprimorada por Les Paul em 1940, quando criou um sistema de bobinas capaz de captar o som das cordas em um corpo sólido de madeira, a guitarra encontrou no rock n’ roll seu maior gênero e, desde os anos 1950, tem criado lendas do estilo e também do instrumento. Guitarristas como Jimi Hendrix, Tony Iommi, Jimmy Page, Eddie Van Halen, entre outros, eternizaram suas guitarras, fazendo marcas e modelos virarem verdadeiros ícones do rock, não só pela guitarra em si, mas pelo que foram, e alguns ainda são, capazes de fazer com elas. Dentre esses, escolhi os dez melhores guitarristas que, na minha opinião, são as melhores lendas do rock, junto com sua guitarra: 1º Jimi Hendrix 2º Edie Van Halen 3º Angus Young 4º Jimmy Page 5º Joe Satriane 6º Eric Clapton 7º  Steve Vai 8º Keith Richards 9º Les Paul 10º Kirk Hammet É claro que escolher ape

Continuum - Série (Ficção Científica)

Se tem algo que vira mania fácil fácil é seguir uma série na TV. Quando o assunto é interessante, logo nos pegamos inebriados por seu conteúdo e fuçando a internet, até chegar o dia da exibição do próximo capítulo, para procurar deduções à respeito. Quem é como eu, que não gosta de "baixar" os capítulos para assistir, e prefere aguardar as exibições legais (nada contra quem baixa), sabe do que estou falando. É quase uma tortura a ansiedade. No último dia 15, sexta feira, estreou no Canal Space , a série Continuum, que possui grande potencial para se tornar um sucesso imediato. A série canadense, que aborda o tema de ficção científica, foi produzida pela Reunion Pictures Inc. e está na 2ª temporada originalmente, no entanto, para o Brasil, estreou com elevada pontuação de IBOPE, somente este mês. A trama discorre sobre um grupo de terroristas do ano 2077 que, através da alta tecnologia, escapam da execução viajando no tempo para o ano de 2012. Acidentalmente, uma oficial da le