Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2020

e tem sido sempre...

Hoje meu silêncio entoa nas canções,  aquelas que não ouço mais com sua voz.  Só as lembranças de cada acorde  são suficientes para afogar meus olhos  na saudade que sinto do seu sorriso,  na vontade de ter você aqui comigo  em tons suaves de cinza e melodia clara. Hoje meus versos voam por pensamentos,  que guardo no recôndito da minha solidão.  E o gorjear dos pássaros tem o mesmo gosto urze  do beijo que ficou perdido na despedida...  o adeus eterno,  cruel de mais para ser medido em palavras  e devaneios desconexos. Hoje eu sinto falta de você  e tem sido sempre...

Sobre afogar em mim mesma

Metas... metas e metas. O primeiro mês do ano já está acabando e tudo o que consigo sentir é que estou sufocada com minhas metas e resoluções. Pode ser porque criei planos agressivos? Pode! Pode ser porque meu trabalho me consome e eu não consigo lidar com as outras coisas no meu dia a dia? Pode! Pode ser porque eu foco mais em uma coisa do que em outra e acabo comprometendo meu cronograma? Pode! O fato é que eu não consigo manter o foco em minhas atividades e seguir numa constância com as decisões que eu tomei e, obvio, isso me causa um grande transtorno interno por não ser capaz sequer de cumprir minhas próprias intensões. Não vou ficar perdendo tempo justificando, até porque se eu mesma defini minhas metas e já no primeiro mês do ano não estou conseguindo cumpri-las com determinação, não há justificativas. De repente eu preciso organizar todo meu cronograma (pela centésima vez) ajustar tudo o que está pendente e recomeçar e eu fico frustrada por não conseguir manter uma line

Minha Terra Não Tem Palmeiras

A minha terra que era outrora desconhecida Que se dizia ser o fim mundo Mesmo que com sua arte adormecida Solitária em um poço fundo Agora jãs mais travestida De um silêncio tão importuno E o vazio de uma flor colhida Preenchendo o outono mudo. Minha terra já não tem palmeiras A lama soterrou tudo Não canta o sabiá nem um pássaro gorjeia Se perdeu sob um olhar profundo Sem esperança de viver, vagueia Crianças órfãs, adultos moribundos Sonhos virando castelo de areia E ventos levando tudo em um segundo. Passa a notícia, mas a tragédia ainda fica Vão se os faróis, mas a verdade não se esconde Em todos olhares a pergunta que não se explica Em todo silêncio a saudade que não responde. Minha terra não tem palmeiras, não canta mais o sabiá O que ouvimos daqui, não é o eco que ressoa de lá...

Sob minhas máscaras

Me perder em sonhos não é suficiente pra aplacar a saudade e a ausência que sinto. Saudade de cada olhar, de todos os momentos, do sorriso... Acho que nunca lhe disse o quanto amava te ver sorrindo... De um jeito que era só seu, um sorriso que me pertencia. E agora, tudo o que fica é a ausência. Ausência nua e crua que se revela em cada ação desesperada de tentar escondê-la. Talvez você não imaginava quanta falta podia fazer, se fosse assim tão de repente. E faz tanto tempo... Tanto tempo, que se tornou natural vestir um disfarce e seguir. Faz tanto tempo que já me acostumei fechar os olhos só pra trazer você pra perto. Faz tanto tempo que perdi as contas de quanta dor podia caber em mim. As vezes essa dor transborda e destrói todas as barreiras que eu criei pra tentar sobreviver a esse vazio. E nesses momentos tudo perde o sentido porque eu trocaria tudo... Você entende?... Eu trocaria cada um dos segundos e todo o tempo sem você por mais um minuto ao seu lado. E me sinto

Os livros que li em 2019 (Parte 02)

Vamos lá, continuando a lista dos livros lidos em 2019 ( parte 01 aqui ):  08. O Mercador de Sonhos Autor: M M Schweitzer Ano: 2016 Gênero: Ficção / Drama Psicológico Avaliação no Skoob: 4.3 (305 avaliações) Avaliação Pessoal: Excelente Conclusão: 30/04/2019 Mais um conto na lista. Com a leitura super cativante e uma literatura nada leve, o autor consegue mexer com nossa cabeça, nos fazendo pensar em nossas prioridades e sentimentos de uma forma, digamos, desconfortante. A história é um suspense psicológico com excelentes diálogos sobre nossos sentimentos. Lembra e "Divertidamente"? Então, é por aí! Com muitas 'lições' que nos fazem refletir enquanto navegamos na história de Ollie.   09. O Segundo Armário Autor: Gabriel de Souza Abreu Ano: 2014 Gênero: Não Ficção / Biografia Avaliação no Skoob: 3.7 (62 avaliações) Avaliação Pessoal: Bom Conclusão: 02/06/2019 O livro é a transcrição do blog que o autor escreveu quando descob

Os livros que li em 2019 (Parte 01)

Bom, se tem um hábito que estou tentando retomar é a leitura. Digo porque há tempos eu lia em média quatro livros por mês, mas depois da faculdade isso virou apenas dois livros por ano. Claro que quando falo de livros, estou me referindo aos romances, ficção e literatura. Livros técnicos e usados para minha formação e trabalho estão fora da lista. Seguindo neste caminho, em 2019 eu li 14 livros e vou sintetizar um pouco de cada um deles em duas partes (para não ficar um post exagerado de grande) registrando minha percepção sobre cada obra: 01. Renato Russo. O Filho da Revolução Autor: Carlos Marcelo Ano: 2016 Gênero: Não Ficção / Biografia Avaliação no Skoob: 4.4 (988 avaliações) Avaliação Pessoal: Excelente Conclusão: 20/01/2019 No geral, conta a vida de Renato Russo. É um livro bem completo que relata desde a infância do cantor até sua pós morte. Com este livro eu pude voltar no tempo, visitar minha adolescência que foi regida à acordes de Legião Urbana e conhecer mai