Pular para o conteúdo principal

Sobre coisas que eu não queria dizer

Sobre coisas que eu não queria dizer
Não sei quantas vezes evitei e adiei falar sobre esse assunto, sei que foram várias. Entre os motivos, por, principalmente, saber que uma parte de mim seria exposta de uma maneira inevitável. Assim como já pensei, várias vezes, em discorrer sobre isso...

Enquanto as palavras surgiam em minha mente, um diálogo rolava quente atrás de mim. Havia me retirado da conversa, incomodada de mais para dizer qualquer coisa. Meu incomodo não vinha das palavras infelizes que a garota insistia em repetir, mas de uma auto análise crítica e inegável que martelava intensamente em minha mente. Eu já fui assim! Insistia meu pensamento de forma vergonhosa e precisa. Tive nojo. Tive nojo da menina, mas tive mais nojo de mim mesma. Como eu ousei?

Não sei dizer como começou a discussão, mas em algum momento a garota estava criticando de forma concisa o sistemas de cotas para os negros, o sistema do bolsa família, a abordagem ao racismo e à violência sexual, principalmente, feminina, a abordagem à homofobia, a intolerância religiosa... No primeiro momento eu pensei em argumentar, no momento seguinte eu não conseguia mais ouvi-la. Enquanto ela falava eu fazia cálculos temporais complexos em minha mente, analisando o que levava-a falar assim. Mas não foi a analise dela que me chocou, foi a minha própria.

Apesar de minhas origens eu mantinha o mesmo discurso sem fundamento, impreciso e, sinceramente, irritante que a garota. Me lembro dos meus quinze anos quando achava um absurdo o sistema de cotas. Não concordava porque o negro teria exclusividade sobre um branco se ambos podiam estudar e mostrar sua capacidade. Ao ouvi-la, me vi falando: "eu não sou racista, até tenho amigos negros". Defendia a "igualdade" de competição. Me lembro, aos dezessete que eu não gostava (e era não gostar mesmo) de homossexuais. Achava que todos eles iriam para o 'inferno' e pior, que mereciam isso, exceto aqueles que eram da minha família e me davam presentes de vez em quando, esses "iam para o céu" porque eram bons. Me lembro de defender a PL122 quando ela saiu... (preciso de um minuto de silêncio pela minha moral). Me lembro, ouvindo a mim mesma claramente nas palavras da menina, de chamar os beneficiados do bolsa família de "vagabundos" e "preguiçosos". De criticar o auxílio reclusão e de achar que, se uma mulher saísse à rua com uma roupa curta ou decotada ela "estava pedindo" para ser violentada. Me lembro de achar que se uma mulher apanhasse do marido ou do namorado e continuasse com ele, é porque merecia aquilo.

Enquanto ouvia todas essas afirmações eu pensava em quantas vezes falei isso para alguém. Em quantas vezes eu escrevi sobre algum desses assuntos nas redes sociais. Não me lembro de todas as pessoas que me ouviram/leram, mas devo um pedido de desculpas a todas elas. Devo um pedido de desculpas, principalmente porque eu, muitas vezes, me achava a 'fodona' que deixava meu interlocutor em silêncio com meus "argumentos". Que vergonha! Eles só se calaram por preguiça de conversar com a pessoa ignorante e retardada que eu era.

Eu mudei, sim. Eu me informei. Eu pesquisei. Eu estava errada o tempo todo. Meu eu de hoje, embora continue com muitos erros e opiniões questionáveis, não aguentaria cinco minutos de conversa com meu eu de uns cinco anos atrás. Assim como eu não aguentei manter a conversa com a menina que insistia em vomitar sua opinião sobre tudo, sem ninguém ao menos estar pedindo.

Às vezes é difícil confrontar a nós mesmos. É o confronto mais doloroso que existe. Quebrar conceitos, mudar de opiniões, admitir que estava errado. Ainda estou longe de me olhar no espelho e sentir orgulho, muito longe disso, mas já me sinto melhor em desatar os nós e quebrar os paradigmas que me mantiam na redoma de 'não se pode mudar'. Mudar é preciso e tem que ser constante.

Comentários

  1. Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, pois por uma acção do google meu perfil sumiu e estava a seguir o seu blog sem foto e agora tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço e muita paz e saúde.
    António Jesus Batalha.

    ResponderExcluir
  2. Bonito isso, reconhecermos nossos próprios erros e mudarmos... Nem todo mundo tem essa capacidade de fazer autocrítica.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Todos os comentários são de responsabilidade individual e não representam a opinião da autora do blog.

Postagens mais visitadas deste blog

Cinema: Estreias Imperdíveis de 2014

Por: Carol Turck Não faz tanto tempo que o ano de 2014 começou e mesmo assim já temos uma lista enorme de excelentes filmes que já estrearam nos cinemas este ano, como O Lobo de Wall Street, A Menina que Roubava Livros, Trapaça e diversos outros. Mas como ainda temos vários meses pela frente, também ainda temos várias estreias imperdíveis para não nos fazer desgrudar da poltrona do cinema este ano. Confira abaixo alguns dos filmes mais aguardados e que você não pode perder: O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro (The Amazing Spider-Man 2) A sequência do herói Homem-Aranha irá rechear a tela de vilões: Jamie Foxx será o principal deles, no papel de Electro, mas também Paul Giamatti, Dane DeHaan e Chris Cooper darão vida a Rhino, Duende Verde e Norman Osborn, respectivamente. A estreia será em 2 de maio. Godzilla O famoso lagarto gigante japonês está de volta ao cinema neste remake norte-americano. O elenco trará o premiado ator Brya

Top 10 - Guitarristas e suas Guitarras

Nenhum outro instrumento musical tem o poder de enlouquecer a cabeça de jovens quanto a guitarra. Aprimorada por Les Paul em 1940, quando criou um sistema de bobinas capaz de captar o som das cordas em um corpo sólido de madeira, a guitarra encontrou no rock n’ roll seu maior gênero e, desde os anos 1950, tem criado lendas do estilo e também do instrumento. Guitarristas como Jimi Hendrix, Tony Iommi, Jimmy Page, Eddie Van Halen, entre outros, eternizaram suas guitarras, fazendo marcas e modelos virarem verdadeiros ícones do rock, não só pela guitarra em si, mas pelo que foram, e alguns ainda são, capazes de fazer com elas. Dentre esses, escolhi os dez melhores guitarristas que, na minha opinião, são as melhores lendas do rock, junto com sua guitarra: 1º Jimi Hendrix 2º Edie Van Halen 3º Angus Young 4º Jimmy Page 5º Joe Satriane 6º Eric Clapton 7º  Steve Vai 8º Keith Richards 9º Les Paul 10º Kirk Hammet É claro que escolher ape

Continuum - Série (Ficção Científica)

Se tem algo que vira mania fácil fácil é seguir uma série na TV. Quando o assunto é interessante, logo nos pegamos inebriados por seu conteúdo e fuçando a internet, até chegar o dia da exibição do próximo capítulo, para procurar deduções à respeito. Quem é como eu, que não gosta de "baixar" os capítulos para assistir, e prefere aguardar as exibições legais (nada contra quem baixa), sabe do que estou falando. É quase uma tortura a ansiedade. No último dia 15, sexta feira, estreou no Canal Space , a série Continuum, que possui grande potencial para se tornar um sucesso imediato. A série canadense, que aborda o tema de ficção científica, foi produzida pela Reunion Pictures Inc. e está na 2ª temporada originalmente, no entanto, para o Brasil, estreou com elevada pontuação de IBOPE, somente este mês. A trama discorre sobre um grupo de terroristas do ano 2077 que, através da alta tecnologia, escapam da execução viajando no tempo para o ano de 2012. Acidentalmente, uma oficial da le