Pular para o conteúdo principal

Pela Janela

De repente, não mais que de repente...

as palavras aos poucos surgem na memória como pensamentos desconexos. Eu me pergunto sobre a direção do vento, sobre a ausência do luar, não quero pensar em nada que me faça sentir, mas é inevitável desviar por tanto tempo o olhar... Não há estrelas nessa noite fria, de outono... 
Eu gosto do outono, é a estação mais sombria e perversa, carregada de devaneios insondáveis. As pessoas ficam tensas na expectativa do inverno e eu, particularmente, me divirto com a nudez dos jardins, como se as flores estivessem em um apelo silencioso e quieto pela atenção que há muito não recebem. Os parques ficam mais convidativos, não sei dizer ao certo se pela ausência de pessoas ou simplesmente porque a beleza mórbida das folhas secas dançando no vento me fascinam.
Mas é "de noite que tudo faz sentido", gosto das noites frias e mergulhadas na ausência. E me sinto relativamente bem quando somente as fotografias me fazem companhia. Posso ouvir o som da cidade lá fora, mas a balbúrdia não me atrai. Me perco nesses retratos... nas lembranças de cada sorriso, no som de cada voz e, faz tanto tempo que já nem sei... 
Está tudo estranho. Hoje eu desejei poder dar um abraço, poder trocar confidências. Eu tinha tanta coisa para contar, as coisas mudaram tanto, as ruas não são as mesmas... e eu me lembro de quando tudo parecia mais simples, por mais que as circunstâncias fossem estonteantes. Não havia esse silêncio doente, nem fotografias com rostos emoldurados nas paredes... mas foram apenas elas que restaram e pouco a pouco até mesmo as lembranças vacilam na memória, momentos que seriam eternos começam a se perder no horizonte, em passos lentos e sem deixar vestígios. 
E estranho depois de tantos dias sentir uma lágrima turva em meus olhos, eu não estou pronta para deixar todo meu sonho ir embora, não quero deixar que a ferida se cicatrize nem que a dor se esvaia, pois e ela que me faz forte. Mas o tempo insiste em levar de mim tudo aquilo que me mantém com os pés no chão e não é que esqueço, mas simplesmente as lembranças não causam mais aquela sensação de mariposas voando no estômago, nem aquele nó amargo na garganta. Apenas quando tento encontrar o mesmo brilho daquele olhar em cada fotografia e percebo que só restaram recordações empoeiradas na estante e que a saudade se traduz nessas lágrimas distantes e acelera o coração dentro do peito, tentando dizer no silêncio que daria a vida por mais um minuto do sorriso mais lindo do mundo... 

Comentários

  1. Marcela, Você fez meus olhos encherem de lágrimas nessa parte:
    "Apenas quando tento encontrar o mesmo brilho daquele olhar em cada fotografia e percebo que só restaram recordações empoeiradas na estante e que a saudade se traduz nessas lágrimas distantes e acelera o coração dentro do peito, tentando dizer no silêncio que daria a vida por mais um minuto do sorriso mais lindo do mundo... "

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Todos os comentários são de responsabilidade individual e não representam a opinião da autora do blog.

Postagens mais visitadas deste blog

Cinema: Estreias Imperdíveis de 2014

Por: Carol Turck Não faz tanto tempo que o ano de 2014 começou e mesmo assim já temos uma lista enorme de excelentes filmes que já estrearam nos cinemas este ano, como O Lobo de Wall Street, A Menina que Roubava Livros, Trapaça e diversos outros. Mas como ainda temos vários meses pela frente, também ainda temos várias estreias imperdíveis para não nos fazer desgrudar da poltrona do cinema este ano. Confira abaixo alguns dos filmes mais aguardados e que você não pode perder: O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro (The Amazing Spider-Man 2) A sequência do herói Homem-Aranha irá rechear a tela de vilões: Jamie Foxx será o principal deles, no papel de Electro, mas também Paul Giamatti, Dane DeHaan e Chris Cooper darão vida a Rhino, Duende Verde e Norman Osborn, respectivamente. A estreia será em 2 de maio. Godzilla O famoso lagarto gigante japonês está de volta ao cinema neste remake norte-americano. O elenco trará o premiado ator Brya

Top 10 - Guitarristas e suas Guitarras

Nenhum outro instrumento musical tem o poder de enlouquecer a cabeça de jovens quanto a guitarra. Aprimorada por Les Paul em 1940, quando criou um sistema de bobinas capaz de captar o som das cordas em um corpo sólido de madeira, a guitarra encontrou no rock n’ roll seu maior gênero e, desde os anos 1950, tem criado lendas do estilo e também do instrumento. Guitarristas como Jimi Hendrix, Tony Iommi, Jimmy Page, Eddie Van Halen, entre outros, eternizaram suas guitarras, fazendo marcas e modelos virarem verdadeiros ícones do rock, não só pela guitarra em si, mas pelo que foram, e alguns ainda são, capazes de fazer com elas. Dentre esses, escolhi os dez melhores guitarristas que, na minha opinião, são as melhores lendas do rock, junto com sua guitarra: 1º Jimi Hendrix 2º Edie Van Halen 3º Angus Young 4º Jimmy Page 5º Joe Satriane 6º Eric Clapton 7º  Steve Vai 8º Keith Richards 9º Les Paul 10º Kirk Hammet É claro que escolher ape

Continuum - Série (Ficção Científica)

Se tem algo que vira mania fácil fácil é seguir uma série na TV. Quando o assunto é interessante, logo nos pegamos inebriados por seu conteúdo e fuçando a internet, até chegar o dia da exibição do próximo capítulo, para procurar deduções à respeito. Quem é como eu, que não gosta de "baixar" os capítulos para assistir, e prefere aguardar as exibições legais (nada contra quem baixa), sabe do que estou falando. É quase uma tortura a ansiedade. No último dia 15, sexta feira, estreou no Canal Space , a série Continuum, que possui grande potencial para se tornar um sucesso imediato. A série canadense, que aborda o tema de ficção científica, foi produzida pela Reunion Pictures Inc. e está na 2ª temporada originalmente, no entanto, para o Brasil, estreou com elevada pontuação de IBOPE, somente este mês. A trama discorre sobre um grupo de terroristas do ano 2077 que, através da alta tecnologia, escapam da execução viajando no tempo para o ano de 2012. Acidentalmente, uma oficial da le