Vale


Odeio o terrível vale 
atrás do pequeno bosque...
Seus lábios nos altos campos 
estão úmidos de sangue
e de urze rubra.
As encostas das costelas 
gotejam com um horror calado
e o eco, 
não importa o que lhe pergunte,
responde morte

Postar um comentário

1 Comentários

  1. como vc consegue escrever um poema ultrarromântico tão sintético e complexo ao mesmo tempo?

    Aff!!! Genial

    ResponderExcluir

Todos os comentários são de responsabilidade individual e não representam a opinião da autora do blog.