Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2011

Oceanos

Ás vezes corremos Ás vezes nos escondemos Dentro de um buraco e desaparecemos Viramos pedra E deixemos o tempo cravar seus traços Para abrir nossos olhos um dia... Deveria jogar-me nos oceanos do tempo? Sem você, sempre ousarei sobreviver?

Garoto Suicida

Com um encolher de ombros ou um suspiro Você declina em sua despersonalização Pintando sua mente ao fechar os olhos Vendo os sinais, mas não pergunta por que As promessas de esperança desvanece e o deixa seco Encadernado em cadeias do medo e da dor Dê uma olhada através dos olhos dos mortos-vivos Beije a lâmina alimentando a vergonha Matando a dor e morrendo por dentro Tentando não ser difícil de acreditar nas mentiras Você fez de si mesmo uma alma sacrificada Memórias desaparecem de sua vida e os crimes te deixam louco sonhos de mentiras Eu ouço o grito de dor em sua voz Suas mãos tremiam traindo suas palavras O tempo é um alvo Uma noite para a próxima escuridão quando você se levanta e dias negros quando você descansa Em uma chuva forte começa a buscar Em algum lugar no seu coração é um homem que se afoga rastejando em pecado Você se prende a lâmina que começa a hemorragia No final do mesmo é onde este caminho leva O mar interior que é negro que lavra na alma Um grito no escuro, afun

Chuvas de Novembro

"E quando seus temores se acalmarem E as sombras ainda permanecerem Eu sei que você pode me amar Quando não sobrar mais ninguém para culpar Então não se preocupe com a escuridão Nós ainda podemos encontrar um jeito Porque nada dura para sempre Nem mesmo a fria chuva de novembro" (November Rain)